Trajetória de Jesus de Nazaré é tema de exposição no Museu da Arte Sacra de São Paulo

Com diferentes técnicas e dimensões, as obras de Wandecok Cavalcanti retratam 20 cenas da vida de Cristo

O Museu da Arte Sacra de São Paulo (MAS-SP) recebe, entre os dias 21 de maio e 31 de julho, a exposição A Trajetória de Jesus de Nazaré, em celebração a Corpus Christi. Com 38 esculturas, confeccionadas em terracota e cinco tonalidades de argila, a mostra leva ao público referências de arte barroca e arte popular.

Wandecok Cavalcanti, artista responsável pelas esculturas (que também ministra cursos e workshops no Museu), destaca-se pelo tom natural de suas peças, enfatizando tanto detalhes físicos, como cor do cabelo e rosto, quanto o cuidado na escolha das cenas que retratam a trajetória de Jesus – que têm início em sua anunciação, desenvolvendo-se até a última obra, intitulada Ascensão de Cristo.

“Desde os meus 8 anos de idade, eu seguia a minha mãe em missas nas igrejas, onde eu sempre ficava encantado com a beleza estética das imagens. Aos 12 anos, descobri o dom que eu tinha de desenvolver esculturas e fui aperfeiçoando ao longo dos anos, sempre voltado ao Barroco”, afirma Wandecok Cavalcanti, que é autodidata e foi convidado pelo MAS-SP a expor suas obras – uma negociação que levou apenas três reuniões para que todos os detalhes fossem acertados.

Ao todo, são 38 obras expostas e apresentadas de forma cronológica: 1. Anunciação – Maria e o Anjo; 2. Caminho de Belém; 3. Sagrada Família; 4. Descanso na Fuga para o Egito; 5. Jesus Menino com Maria e José; 6. Cristo faz o Milagre dos Peixes; 7. Jesus é batizado; 8. Jesus com as Crianças; 9. Entrada de Jesus em Jerusalém; 10. Lavapés; 11. A Santa Ceia; 12. Cristo no Horto das Oliveiras; 13. Jesus é Açoitado; 14. Cristo Coroado; 15. Maria Madalena; 16. Jesus e as Mulheres; 17. Jesus é Crucificado; 18. A Descida da Cruz; 19. Nossa Senhora da Piedade com Jesus; e 20. Ascensão de Cristo.

Escultura A Sagrada Família. Foto por Mariana Zuanetti.
Escultura A Sagrada Família. Foto por Mariana Zuanetti.

Para Wandecok, A Sagrada Família é sua obra preferida e significa o poder da união da família. O artista também tem acompanhado a receptividade do público na exposição e tem ido frequentemente ao Museu para receber e explicar detalhes sobre a mostra para grupos que agendam visitas. “Há muita curiosidade e surpresa do público ao saber que o autor das obras está em plena atividade. A aprovação é de 100%”, afirma.

Cavalcanti também orienta quem pretende seguir neste caminho da arte. “Meu conselho é que tenha muita paciência e siga corretamente o processo da arte escolhida, seja ela escultura, pintura ou mesmo um desenho”, comenta.

Atualmente, o Museu tem 2 mil obras expostas, mas possui um acervo com cerca de 18 mil itens, entre esculturas, pinturas e objetos litúrgicos. O objetivo é incentivar e divulgar o trabalho de novos artistas, e atrair a atenção de públicos de todas as idades, independentemente de sua cultura ou religião, já que, quanto mais visitantes o Museu receber, maior será a assistência do governo para que sejam expostos novos trabalhos.

Lucas Rosalin, historiador e educador do MAS-SP, diz que a receptividade do público a artistas novos é muito boa, à medida em que a temática religiosa é considerada um atrativo. O público geralmente não é assíduo frequentador de museus, porém o Museu da Arte Sacra de São Paulo torna-se uma extensão do Mosteiro da Luz, situado nas proximidades do Museu, ou de outros importantes pontos, como a Pinacoteca do Estado de São Paulo e o Museu da Língua Portuguesa (fechado para reforma desde o incêndio em dezembro de 2015).

Durante o período de exposições badaladas, como Ron Mueck (2015) na Pinacoteca, o MAS-SP chegou a ter cerca de mil visitantes em um dia. Entretanto, o historiador reflete sobre até que ponto as grandes exposições exercem, de fato, uma função educativa ou se apenas cumprem uma função de mercado cultural. “Ao visitar grandes exposições que têm um bom espaço na mídia, as pessoas passam a criar o hábito de visitar os outros espaços culturais da cidade, como o MAS-SP”, comenta Lucas.

Serviço: O MAS-SP funciona de terça a domingo, das 9:00hs às 17:00hs, na Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo – SP. A entrada custa R$ 6,00, com gratuidade aos sábados e para idosos acima dos 60 anos, crianças de até 7 anos e professores da rede pública, com identificação e até 4 acompanhantes.

Para mais informações, acesse o site do Museu da Arte Sacra de São Paulo (www.museuartesacra.org.br) ou ligue no telefone (11) 3326-3336.

Nota do redator: Matéria escrita por Bruna Vidal, Eduardo Santos, Mariana Zuanetti e Victória Navarro (Senac – Jornalismo Cultural, julho/2016).

Compartilhe nas suas redes sociais!

Comentar Via Facebook

Comentários

Related posts

4 Thoughts to “Trajetória de Jesus de Nazaré é tema de exposição no Museu da Arte Sacra de São Paulo”

  1. Wandecok Cavalcanti

    Parabéns a toda a equipe.
    Sinto me honrado e feliz por esta publicação
    Att
    Wandecok

    1. Eduardo Silva Eduardo S.

      Obrigado, Wandecok Cavalcanti!

  2. Dan

    Boa noite. Gostaria de te parabenizar pelas matérias, gostei muito. Obrigada

    1. Eduardo Silva Eduardo S.

      Muito obrigado, Dan! 😉

Leave a Comment