Crítica: Caixa de Pássaros – Não abra os olhos

“Ela está lá fora, pronta para alimentar os pássaros. Vendada, anda devagar, tateando a parede para procurar a caixa. Eles já arrulham. Sempre fazem isso quando ela se aproxima. No entanto, dessa vez, ela ouve algo além dos pios. No fim da calçada, ouve-se um ‘passo interrompido’. Sempre muito alerta, ela fica surpresa ao perceber que está tremendo. As vozes dos pássaros não soam mais de forma agradável. Parecem o que Tom quer que sejam: um alarme.”

Resenha Caixa de Pássaros 2Caixa de Pássaros, lançado em 2014, é um romance pós-apocalíptico do autor americano Josh Malerman. Após vários relatos de pessoas enlouquecendo e cometendo suicídios violentos, diversas nações ficam em estado de alerta. Os personagens olham para uma “coisa” que acaba desencadeando um impulso incontrolável que os leva à morte. Ninguém é imune a isso e ninguém sabe o que provoca essa reação.

“Livros de entretenimento sofrem preconceito porque se propõem a divertir e só; mas qual o problema nisso? Caixa de Pássaros é um suspense. Sem entrelinhas, sem um discurso político e livre de ideologias. O autor se propõe a levar o leitor a um estado de paranoia e medo e esse objetivo é alcançado”, afirma Augusto Assis, colunista do Cabine Literária.

Segundo ele, o livro mexe com o que você não conhece ou não pode ver e o leitor fica, em todas as páginas, tentando entender o que está acontecendo. “Como alguém consegue prender o leitor e fazê-lo sentir medo de algo que não é visto? É genial”, conta.

Como a ‘coisa’ só mata quando você a vê, a solução que os sobreviventes encontram quando precisam sair da casa, é vendar os olhos. “Você acompanha quando um personagem sai vendado para um lugar desconhecido, podendo ser atacado tanto por bichos quanto por pessoas que talvez estejam enlouquecidas, então é muito ‘oh Meu Deus, o que vai acontecer agora?’”, conta.

Para Augusto, por trás de tudo é possível ver a si mesmo, sobrevivendo e lutando contra coisas que você nem sabe de onde vieram, cuidando daqueles que são importantes para você. “Isso fora o fato de que a protagonista Malorie é como aquela pessoa que você conhece em uma festa aleatória e descobre que ela é extremamente legal. ‘Por que eu não te conhecia ainda? Quero saber tudo sobre você’. Era assim que eu me sentia com ela”, finaliza.

Augusto Assis já gravou um vídeo sobre o livro Caixa de Pássaros para o Cabine Literária. Assista ao vídeo clicando aqui.

Resenha Caixa de Pássaros 3

Nota do redator: Matéria de junho 2015, escrita para o Jornal Expressão da Universidade São Judas Tadeu. Você pode ler a versão online do jornal CLICANDO AQUI.

Compartilhe nas suas redes sociais!

Comentar Via Facebook

Comentários

Related posts

Leave a Comment