Novo álbum do Evanescence 2017: o que sabemos até agora?

O novo álbum do Evanescence, “Synthesis”, unirá orquestra e música eletrônica, e terá músicas antigas da banda em versões recriadas do zero, além de duas canções inéditas.

Obs.: Novos edits são feitos a cada novidade sobre o novo álbum do Evanescence.

O último álbum de estúdio do Evanescence foi lançado em outubro de 2011 e apresenta um som mais pesado da banda, com destaques para as faixas Made of Stone, Sick e Never Go Back. O álbum estreou em primeiro lugar na parada Billboard 200 com 127.000 cópias comercializadas, porém não atingiu o sucesso que seus antecessores The Open Door (2006) e Fallen (2003) tiveram.

Novo álbum do Evanescence em 2016 - 2

Seus singles What You Want, My Heart is Broken e Lost in Paradise foram bem escolhidos e marcaram a volta da banda nas paradas musicais, apesar de terem pouca divulgação. De um modo geral, o “Ev3” é um álbum com ótimas músicas, mas não foi aproveitado como deveria.

A banda iniciou uma turnê mundial em 2011 que se estendeu até o ano seguinte. Tocaram no festival brasileiro Rock in Rio, em 2011, ao lado das bandas System of a Down e Guns N’ Roses e também no Rock in Rio Lisboa 2012, na noite do metal, abrindo o show para a banda Metallica. Em 2012, a turnê também passou por cinco cidades brasileiras no mês de outubro: Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Recife e Fortaleza.

A turnê foi encerrada em novembro do mesmo ano em Londres e, depois disso, a banda entrou novamente em um hiato de quase 3 anos. Durante esse meio tempo, Amy Lee produziu a trilha sonora para o filme War Story, gravou uma trilha instrumental para o curta-metragem Indigo Grey e também escreveu uma música para os créditos finais do filme independente Voice From The Stone – que ainda não foi divulgada, mas algumas fotos de um videoclipe para a música foram postadas por Amy em suas redes sociais.

Novo álbum do Evanescence em 2016 - 8

Edit 1: A música “Speak To Me” e seu clipe está disponível na conta oficial da Amy Lee no YouTube. Assista abaixo:

Em abril de 2015, foi anunciado que o Evanescence seria uma das atrações principais do festival Ozzfest, no Japão, no final do ano. A partir de então, os fãs passaram a ter uma pequena chama de esperança de que o Evanescence voltaria aos palcos e se animaria para lançar um novo trabalho. Veja a seguir o que temos de informações até agora.

Novo álbum do Evanescence: análises e teorias

Novo álbum do Evanescence em 2016 - 3

Tudo começou a partir deste tweet da Amy Lee. Os fãs já estavam praticamente conformados em não ter previsões para um trabalho novo do Evanescence tão cedo. Mas então ela informa que estava mexendo em “gravações antigas” e aí vem a dúvida: seriam as gravações descartadas em 2010?

Antes do lançamento mundial do Ev3, outro álbum estava sendo preparado pela líder e vocalista do Evanescence com previsão de lançamento para 2010. Não há muitos detalhes sobre esse disco e tudo o que os fãs sabem é que ele tinha uma pegada mais eletrônica, com influências de bandas como Björk, Massive Attack, Portishead, Depeche Mode, Nine Inch Nails etc., e que as gravações foram interrompidas porque elas “não estavam dando certo”.

Essa justificativa não foi bem aceita, já que em muitas entrevistas a Amy Lee demostrava estar extremamente animada com a produção do novo álbum. Durante muito tempo algumas teorias que o “álbum eletrônico” havia sido boicotado pela gravadora circularam entre os fãs do Evanescence. O que acontece é que essa teoria foi praticamente confirmada pela Amy Lee recentemente em um post em sua página no Facebook.

O “álbum eletrônico” de 2010

Em 2009, após um hiato de 2 anos, a vocalista Amy Lee anunciou no site oficial do Evanescence que a banda estava iniciando os processos de composição para o novo álbum que tinha previsão de lançamento para o outono do ano seguinte. Amy Lee havia informado que o novo trabalho iria mostrar um novo lado da banda com influências claras de músicas eletrônicas e que os fãs deveriam ser apresentados a composições com mais bateria e menos guitarras, mas sem perder a identidade do Evanescence.

Aliás, muito se confunde o material do disco de 2010 com “sons eletrônicos”. Segundo a própria Amy Lee, o disco era uma mistura de sons, com algumas músicas incrivelmente pesadas ​​e outras completamente despojadas, misturando sons sintéticos e atmosféricos. As influências incluíam rock, electro, pop, música clássica, hip hop, industrial, oriental e dark soul.

Novo álbum do Evanescence em 2016
Muitas coisas sobre ‘eletrônico’ em relação ao nosso novo álbum. Que não se resume. Influências incluem: Rock, electro, pop, clássica, hip hop, industrial, oriental, dark soul…

O material já estava em fase de produção e composição quando a banda se apresentou no Maquinaria Festival, em novembro 2009, em São Paulo, mas somente em fevereiro de 2010 a banda entrou no estúdio para gravar as novas músicas.

Em julho de 2010, o Evanescence tinha 16 composições finalizadas, mas a data de lançamento do álbum foi adiada e então surgiram todos os boatos de que álbum não estava saindo muito bem e, por isso, ele foi iniciado do zero. A banda retornou ao estúdio para compor músicas novas e então o álbum Evanescence foi lançado em setembro de 2011.

A maioria dessas 16 composições ainda é um mistério, mas se sabe da existência (e do nome) de algumas delas:

Hi-lo era uma das músicas que estaria no terceiro álbum da banda. O título era provisório e o ritmo da música estava indo em uma direção electro-pop. Segundo Amy Lee, a música é sobre seguir em frente, mas de uma forma não conflituosa, sem raiva. “É tipo: ‘ei, tudo o que aconteceu, superei e não estou brava com você’“.

Nessa mesma época, Amy também tinha revelado o nome de outra música – que provavelmente seria o primeiro single do álbum eletrônico: You Got a Lot to Learn. Não há mais detalhes sobre a canção.

Em 2010, foram gravados alguns Twitvids em que os fãs puderam conhecer alguns pequenos trechos de músicas que estariam no terceiro álbum do Evanescence. A única faixa com título conformado pela foi Perfect Dream. No vídeo abaixo é possível ouvir um pequeno trecho dela:

Os covers e as gravações interrompidas

Amy Lee havia informado que não tinha planos para o Evanescence no momento, mas que talvez ela preparasse alguns materiais que serviriam para uma possível carreira solo – o que não significa que a banda acabou. Em agosto de 2015, por exemplo, a banda fez um comunicado no Facebook dizendo que o guitarrista Terry Balsamo estava deixando o grupo. Em seu lugar, a alemã Jen Majura assumiu o posto como nova guitarrista da banda.

Novo álbum do Evanescence em 2016 - 5
(Créditos: Reprodução – Ozzfest Japan)

Como “aquecimento” para o Ozzfest, a banda marcou três shows nos EUA. Assistindo aos vídeos, é possível ver como a banda está com uma pegada diferente, com riffs mais fortes e pesados, mesmo nas músicas antigas. Minha teoria pessoal é que o Evanescence não precisaria contratar uma nova guitarrista se o plano fosse apenas fazer esses quatro shows… isso é algo que o Terry poderia fazer. Se a Jen agora é membro oficial da banda, é bem capaz que ela possa contribuir muito para o Evanescence e, quem sabe, contribuir para um novo álbum, não é mesmo?

Mas voltando ao que temos em mãos, Amy Lee também revelou em uma entrevista que estava gravando alguns covers no estúdio da sua casa e os lançaria em breve. Demorou um pouco, mas eis que no dia 27 de outubro o primeiro vídeo foi divulgado no seu canal no YouTube: “It’s A Fire”, da banda britânica Portishead. O segundo cover divulgado foi uma versão sombria de “With or Without You” do U2 (meu cover preferido até o momento), seguido pela clássica “Going To California” do Led Zeppelin.

Novo álbum do Evanescence em 2016 - 6

O último cover divulgado foi “Baby Did a Bad, Bad Thing” de Chris Isaak e, com ela, veio um desabafo de Amy Lee sobre as “gravações interrompidas” de 2010. O cover foi gravado em 2009 para a trilha sonora do filme “O Segredo da Cabana”, mas foi recusado pela produção do filme. Amy finalizou a música e decidiu que ela estaria no próximo álbum. Leia a seguir:

“Aquele álbum foi a primeira vez que eu vi algo no qual eu estava trabalhando que tirou totalmente o meu fôlego. Os empresários mudaram de opinião durante o frustrante processo de gravação e eu fui informada que nenhuma das músicas nas quais eu estava colocando o meu coração eram boas o suficiente – hora de recomeçar. Eu estava devastada. Eu estava furiosa. Eu estava determinada a assumir o controle da situação e usar isso pra me fazer levantar e ir adiante. Acabou me deixando nervosa o suficiente para escrever o álbum mais pesado do Evanescence – que eu adoro – e acabamos usando 3 músicas do projeto original, mas eu ainda me sentia insatisfeita sobre o que eu amavelmente me refiro como minhas “gravações interrompidas”. Eu acreditei, na maior parte das vezes sozinha, neste pequeno punhado de gravações inacabadas e prejudicadas por 5 anos – e pela primeira vez, eu tenho o direito sobre elas. Eu planejo finalizar algumas, refazer outras, a provavelmente guardar umas duas para mim. […]”

Esse relato deixa muito claro que o álbum eletrônico realmente existiu e que realmente foi descartado pela gravadora. Outro ponto a ser discutido é que, em 2014, a Amy Lee processou a Wind-Up Records por sabotagem e danos materiais e, a partir de então, o Evanescence tornou-se uma banda independente. Amy Lee tem total direito de lançar os materiais barrados em 2010 e usá-los para o Evanescence ou para uma possível carreira solo. De que forma? Ainda não sabemos. O que nos resta é aguardar…

Edit 2:

Take Cover e novidades para 2017

Em outubro de 2016, durante um show realizado em Dallas, nos Estados Unidos, o Evanescence surpreendeu a todos tocando a inédita “Take Cover”, música que foi descartada do álbum eletrônico de 2010. Nos shows, Amy Lee dedicava a música “para todas as pessoas que tentaram destruir a banda de dentro para fora”. Estaria ela mandando uma mensagem para ex-membros do Evanescence, como Ben Moody e John John LeCompt? Ouça Take Cover tocada ao vivo no último show da mini-turnê “Fall Tour”:

Em fevereiro de 2017, o agente da banda revelou que o Evanescence tinha entrado no estúdio para gravar um novo material. A própria Amy já tinha revelado em uma entrevista recente que tinha planos para a banda, mas que ainda não poderia revelá-los. “Estamos começando algo novo no Evanescence, mas não é exatamente algo tradicional”, disse em entrevista à AOL.

Nessa mesma época, foi disponibilizado para steaming o box “The Ultimate Collection”, uma coletânea com todos os álbuns do Evanescence, incluindo o álbum Origin (2000), lançado de forma independente na época em que a banda ainda não era mundialmente famosa.

Os b-sides dos três álbuns oficiais – Fallen (2003), The Open Door (2006) e Evanescence (2011) – estão incluídos no LP “Lost Whispers” – que também tem duas faixas inéditas: Lost Whispers (intro) e a nova versão de Even in Death, tocada no piano. Ouça o álbum no Spotify clicando aqui!

Novo álbum do Evanescence Lost Whispers

Tracklist – “Lost Whispers”:

1. Lost Whispers
2. Even In Death (2016)
3. Missing
4. Farther Away
5. Breathe No More
6. If You Don’t Mind
7. Together Again
8. The Last Song I’m Wasting On You
9. A New Way To Bleed
10. Say You Will
11. Disappear
12. Secret Door

Para 2017, o Evanescence entrará em uma turnê mundial, começando com três shows no Brasil: Brasília (20/04), Rio de Janeiro (22/04) e São Paulo (23/04). Outros shows de destaque são: o Festival Vivo El Rock, em Lima, no Peru, ao lado do Korn, no dia 29 de abril; o Rock Fest na Finlândia, no dia 10 de junho, que também terá a participação da banda Rammstein no dia anterior; e o Graspop Metal Meeting, realizado na cidade de Dessel, na Bélgica, onde o Evanescence será a segunda atração principal do dia 18 de junho, abrindo o show para o Scorpions.

Edit 3:

Evanescence anuncia novo álbum: “Synthesis”

“Synthesis” é o novo álbum – ou melhor, novo projeto – do Evanescence. Segundo Amy Lee, o álbum unirá orquestra e música eletrônica, e terá músicas antigas do Evanescence em versões recriadas do zero, além de duas canções inéditas.

“Estamos chamando assim porque é a síntese. Combinação, contraste e sinergia entre o orgânico e o sintético, e também o passado e o presente. (…) Estamos pegando nossas músicas, tirando as guitarras e baterias pesadas, e substituindo-as por uma orquestra completa e um mundo cheio arranjos sintéticos de batidas e sons”, comentou Amy Lee em um vídeo divulgado no Facebook do Evanescence no último dia 10 de maio.

A líder do Evanescence reforça que não se trata de remixes. “Isso não é um remix, não estamos simplesmente tirando elementos e colocando outros. (…) Estamos colocando tudo isso junto como uma grande peça de música, como uma grande peça de música clássica ou de trilha sonora. De certa forma, soa como uma trilha sonora. A trilha sonora da minha vida”, ri. Amy Lee já tinha dito anteriormente que esse novo projeto seria uma forma totalmente diferente de ouvir o Evanescence.

Além do “Synthesis”, que será lançado no outono norte-americano e terá uma turnê com direito a orquestra, o Evanescence deve lançar um álbum de inéditas em 2018 com o seu “estilo original”.

Compartilhe nas suas redes sociais!

Comentar Via Facebook

Comentários

Eduardo Silva
About Eduardo Silva 89 Articles
Jornalista. Gosto de raposas, Nutella e boas playlists no Spotify!

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*