Resenha: Ainda Sou Eu

Todos nós conhecemos a história de Louisa Clark, a jovem inglesa que arrebatou nosso coração no romance “Como eu era antes de você”, da autora Jojo Moyes. Após aceitar o emprego de cuidadora e conhecer Will Traynor, a vida de Louisa nunca mais foi a mesma, ainda mais após a morte do amado, que decidiu interromper a própria vida alguns anos após o acidente que o deixa tetraplégico.

Louisa Clark e Will Traynor, interpretados por Emilia Clarke e Sam Claflin na adaptação de “Como eu era antes de você” (2016). Créditos: Warner Bros. Pictures/Reprodução

ATENÇÃO: O TEXTO ABAIXO PODE CONTER SPOILERS!

Fato é que, após Will, Louisa precisa novamente sair de sua zona de conforto. É em “Depois de você”, continuação do primeiro livro, que descobrimos que seguir em frente foi uma tarefa muito difícil. Louisa estava fazendo o que Will a instruiu a fazer antes de falecer: depois de ir a Paris, se mudou para Londres, estava vivendo em um apartamento e trabalhando em um bar do aeroporto londrino, novamente sem perspectiva alguma na vida. É com muito esforço, após sofrer um acidente, que Lou decide que está na hora de contornar o luto e começa a participar de reuniões de apoio para superar essa fase.

Muitos leitores torceram o nariz com a continuação de “Como eu era antes de você” e, apesar de compreensível, com o lançamento de “Ainda sou eu”, “Depois de você” se torna ainda mais interessante. A vida de Louisa Clark precisava continuar. Ela era ainda muito jovem, não sabia sequer o que queria da vida para seguir algum sonho. Conhecer Will foi um novo (e lindíssimo) capítulo de sua vida e, depois de sua partida, ela precisava de um capítulo novo, que fosse mais dela do que nunca. Em “Depois de você” isso ainda não fica muito claro porque ela ainda sente muito a falta de alguém que foi tão importante para ela. Mas com a ajuda de sua família e de pessoas que chegam para acrescentar sua história de alguma forma, seu final já dava algum alívio para nós que sofremos tanto com essa personagem tão querida.

Ela encara o luto e consegue administrar as lembranças e a presença de Will de uma forma diferente e já relativamente boa. Uma pessoa do passado de Will entra em sua vida deixando tudo de pernas para o ar a ensinando, aos poucos, coisas que nem ela mesma esperava e a obrigando, mais uma vez, a sair de sua zona de conforto. Tentar um novo relacionamento era algo que não passava pela cabeça de Lou até conhecer Sam e suas histórias se entrelaçarem também de uma forma inesperadamente boa. E, então, ela recebe uma proposta de emprego, indicada por Nathan (fisioterapeuta de Will que acompanhou Lou na jornada do primeiro livro), para ser acompanhante em uma família rica de Nova Iorque. Ela estava aceitando um bom emprego em outro país, deixando parte de sua história para trás na tentativa de encontrar o seu caminho finalmente. Mas como ela lidaria com a distância dos familiares e do namorado, trabalhando em um lugar imenso, novo, em que ela não conhecia nada e ninguém?

Quando pensamos que já conhecíamos Louisa o suficiente e sua vida já tinha guinado o bastante, Jojo Moyes no apresenta uma nova história que se torna, provavelmente, a mais encantadora da trilogia.

Em Nova Iorque Lou é apresentada à classe alta americana e seu trabalho consiste em acompanhar a esposa jovem e depressiva de um já senhor que vive para o trabalho e para o dinheiro. Assim, somos inseridos com a personagem em um mundo que vive de aparências, onde o dinheiro é o que faz uma pessoa. Clark acompanha Agnes em eventos beneficentes que eram de suma importância para o seu marido, anda de limusine, come e bebe do melhor e, apesar de estar em um campo minado, ama seu trabalho. Mas ainda precisa lidar com a distância e as saudades de Sam, ainda mais depois de conhecer Josh, um rapaz que é, praticamente, um Will Traynor americano.

Nada foi fácil para Louisa a partir do momento em que ela realmente passou a encarar a vida. Obviamente, nessa nova etapa, nada seria diferente. Em Nova Iorque, Lou convive diariamente com pessoas que se mostram o que não são para se encaixar. E mesmo com muito esforço, algumas pessoas simplesmente ainda não se encaixam e o sofrimento que isso acarreta, dinheiro algum é capaz de curar. Mas, mesmo assim, essas pessoas continuam passando umas por cima das outras para alcançar objetivos invisíveis.

Diferente do segundo livro, em “Ainda sou eu”, a presença de Will é uma constante através de cartas que Camilla Traynor entrega a Lou quando a mesma embarca para os Estados Unidos, afim de confortar Clark sobre como era a vida naquele lugar tão agitado e como Will lidou com tudo no tempo em que ficou por lá. E, ao invés de Lou tentar fazer exatamente o que Will a aconselhava fazer ou seguir os mesmos passos que ele seguiu enquanto esteve em Nova Iorque, ela toma suas palavras como conselhos para as suas próprias decisões.

Seu caráter é fortemente testado, há perdas e ganhos, há decepções e descobertas, além de, novamente, em seu caminho aparecer mais uma pessoa que é quem, enfim, ajuda Clark a descobrir o que realmente gostaria de fazer e quem ela realmente é. Sabe aquele sonho que muitas vezes somos obrigados a correr atrás, mesmo sem saber que sonho era esse? Louisa também não sabia. Mas, a partir do momento em que ela descobre o que quer para sua vida, a personagem se transforma completamente.

“Antes de você” é uma aula de amadurecimento em que Jojo Moyes faz questão de ressaltar que a história é e sempre foi sobre Louisa Clark e seu crescimento como mulher, pessoa, filha, profissional, namorada, amiga. Todas as pessoas que passaram por sua vida e a mudaram de alguma forma a fizeram chegar no ponto crucial em que ela se encontra nesta terceira etapa do livro, mas foram apenas capítulos que a levaram até seu grande êxtase. E, ainda que fossem capítulos belamente construídos, quem precisava escrever eles, na verdade, era Lou.

Louisa nos ensina que, em um mundo que nos obriga a nos deixar de lado para nos adequar ao que achamos que é realmente necessário, descobrir quem nós realmente somos e assumir isso com orgulho é o diferencial que nos levará às conquistas que merecemos. Não nos é interessante, de forma alguma, deixar com que as pessoas nos moldem e nos prendam de alguma forma, ainda mais em situações em que não queremos estar. Se estas pessoas não puderem caminhar conosco sem tentar nos impor algum tipo de poder sobre nós, nós podemos sim seguir em frente e nos reinventar de alguma forma até nos descobrirmos de novo.

Will disse a Louisa, certa vez:

“Viva corajosamente, Clark”

E é isso que Louisa faz. Vive corajosamente, veste sua meia-calça com orgulho e nos guia a um dos finais mais emocionantes e bonitos contados por Jojo Moyes. Se a autora chegou ao fim da história de Lou e realmente a terminar aqui, podemos ficar tranquilos: tudo valeu a pena.

Emilia Clarke como Louisa, na adaptação de “Como eu era antes de você” (2016). Créditos: Warner Bros. Pictures/Reprodução

“Ainda Sou Eu” foi lançado no Brasil pela Editora Intrínseca no último dia 8.

Autora: Jojo Moyes
Tradução: Julia Sobral Campos, Maria Carmelita Dias, Ana Rodrigues, Cássia Zanon
Páginas: 400
Gênero: Ficção
Formato: 16 x 23 x 2

Compartilhe nas suas redes sociais!

Comentar Via Facebook

Comentários

Amanda Esteves
About Amanda Esteves 17 Articles
Jornalista. Leave the gun, take the cannoli. Vai Corinthians!

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*