Crítica: Black Mirror e o lado negro da tecnologia

Imagine acordar sozinho em uma casa sem lembrar quem é você, qual é o seu nome ou como você foi parar lá. Ao sair na rua, todas as pessoas se recusam a falar com você e apenas apontam a câmera dos seus celulares em sua direção, passando a acompanhar/filmar tudo o que você faz, como “observadores” alienados, enquanto um grupo de caçadores tenta te matar.